setembro 25, 2022

Fofoca

Notícias sobre as manchetes de Portugal no NewsNow: o balcão único para

Portugal à beira da crise alimentar

O Guerra na Ucrânia; O rápido aumento foi desencadeado pelo custo do combustível, declarado uma ‘emergência de abastecimento alimentar’ – não só para Portugal, mas também pelos baixos salários que a maioria da população recebe, pois este país depende das importações, e Pobreza alta Taxas, Portugal será particularmente ruim.

Expresso O apito soou para isso Crise espiralAdmitindo a situação – A PiorDiz, Na memória viva – Há mais Aumenta com a seca.

Cultivável AgricultoresProdutores de carne, produtores de leite, padeiros, avicultores e todas as indústrias da indústria alimentícia Nunca vi ou experimentei nada parecido com os problemas empilhados contra eles.

Esse é um dos principais obstáculos Rússia e Ucrânia são dois dos principais fornecedores mundiais de grãos“Essencial para a produção de alimentos”. Enquanto estes são agora limitados, os preços estão subindo – tornando cada processo mais ‘complicado’.

Com Potencial de pastagens foi reduzido (Devido à seca) os agricultores são obrigados a comprar Forragem seca Para seu gado, eles raramente podem comprar.

Pior, a alimentação Estará esgotado em abril.

De onde virá a próxima remessa?

Expresso diz, Nos próximos dias, o preço das necessidades básicas diárias aumentará de 20% a 30%.

“Pobreza alimentar atinge níveis sem precedentes há muitos anos”

“A pobreza alimentar atingirá um nível que não víamos há anos”, disse Isabel Jonett, presidente de longa data do Banco Alimentar contra a Fome.

Eduardo Oliveira e Souza, Presidente da CAP – Federação Agrária Portuguesa – concorda: “Estamos em uma emergência alimentar Eu nunca vi isso “.

“Com o aumento dos preços da energia e do diesel, a guerra piorou desde o surto Agricultores Who Abandone a produção de várias culturas sazonaisMilho, legumes, algumas frutas, para não causar prejuízos”, acrescenta o Expresso.

“No entanto, mesmo que os preços subam, haverá desabastecimento”, alerta Oliveira e Sousa. “E dIsso levará a ‘especulação’ e novos aumentos (de preços) “.

CAP está considerando “Aviso de Distribuição”, Ele adicionou. “O estoque de alguns itens, como massa (para fazer) farinha, está muito baixo em um ou dois meses Teremos que trazer rações como a que aconteceu nos anos 70. (Quase nenhum estrangeiro se lembrará, mas o ponto em que Portugal surgiu A tragédia da ditadura se transformou em revolução)

READ  As 30 Melhores Críticas De história medieval Com Comparação Em - 2022

Preço da carne vai aumentar 30%

O milho é um componente importante da alimentação animal. Como disse ao Expresso Jaime Bizarra, secretário-geral da Associação Portuguesa da Indústria de Alimentação Animal: “Na semana passada, O preço de uma tonelada de milho subiu de 300€ para 420€. Isso significa que a ração animal aumentará de 25% a 30%, o que não pode ser adquirido pelos produtores. A indústria pode entrar em colapso.

Escusado será dizer que estes aumentos irão reflectir-se nos preços ao consumidor.

A carne mais consumida pelos portugueses é a de porco. Isso vai aumentar os preços em mais de 30% nos próximos dias, disse David Neves da Federação Portuguesa de Produção de Carne Suína. David Neves explicou que só havia ração animal suficiente no campo até abril. “Depois disso, não teremos mais nada para alimentar os animais, ou seja, As pessoas deveriam ficar sem carne. Se medidas de emergência não forem tomadas, veremos a fome voltar a Portugal“, Ele avisou.

É claro que vegetarianos e veganos que lerem esta história encontrarão os aspectos mais positivos da escassez de carne. Mas suas escolhas de estilo de vida também serão afetadas pelo aumento dos preços das matérias-primas, combustível e produção de alimentos.

No caso de Paulo, “nem é possível prever o quanto o preço vai subir. Enquanto o diesel já está subindo 0,15 centavos e subindo 0,20 centavos, o poder de ordenha das vacas está aumentando a cada dia. O custo do fertilizante está aumentando e o preço da forragem é alto. O A situação é dramáticaCarlos Neves da Associação Portuguesa de Produtores de Leite acrescentou.

Mais uma vez, milhares de consumidores podem pensar “isso não me afeta”: o mercado de lácteos está crescendo como aveia/amêndoas/soja – mas isso também será afetado por esses aumentos de custos, principalmente quando se trata de transporte.

READ  Visto: Como o Golden Visa Portugal vai mudar a partir de 2022

A tragédia é que em Portugal – um pequeno país com um coração enorme (descoberto por muitos ucranianos nestes últimos dias terríveis) – 20% da população (cerca de dois milhões de pessoas) vive com menos de 450 por mês.

Essas pessoas não estão pensando em comprar leite de aveia (é mais caro que o leite comum); Eles sobrevivem com alimentos caros, como pão, legumes, carne (principalmente porco/frango) e arroz/batatas.

“Eles têm que fazer uma enorme ginástica para sobreviver”, disse Isabel Japnet (malabarismo financeiro, não o outro tipo). “Eles simplesmente não têm margens marginais. Eles só podem cortar. As crianças que vão à escola sem café da manhã vão para a cama sem jantar”, disse ele.

E em A ‘tempestade perfeita’ de falhas Um novo fator está chegando: Influxo significativo de refugiados desesperados com crianças pequenas em crescimento que precisam de nutrição adequada.

O Banco Alimentar Contra a Fome alimenta actualmente mais de 500.000 pessoas.

Este é um pó”, disse a Sra. Jonat. “Além de aumentar a procura que recebemos das famílias portuguesas, as empresas devem responder à prosperidade dos refugiados. O sistema de apoio social pode entrar em colapso”.

Isabel Jonet está nos bancos alimentares desde 1994. Ele não é fã. Ela realmente sabe do que está falando.

O governo diz: “Ainda não há razão para imaginar escassez de alimentos …”

O artigo do Expresso viu o governo responder rapidamente: “Até o momento, não há razão para esperar escassez de alimentos”, disse um comunicado do Ministério da Agricultura, que disse que sua ministra, Maria Du Ciu Antunes, não poderia continuar no próximo governo. Aquele que nunca é visto como uma boa escolha nos melhores momentos.

O relatório passou a dizer que o ministério estava “trabalhando com outras agências governamentais” Monitoramento e monitoramento permanente da distribuição nacional de alimentos“.

Para o efeito, reuniu-se no passado dia 28 de fevereiro com a Comissão de Acompanhamento e Avaliação das Condições de Distribuição de Mercadorias nos setores agroalimentar e de retalho devido à dinâmica do mercado. Não foram relatados riscos de interrupção do fornecimento.

READ  Oliveira em Portugal Atenas 9,84 para reconsiderar a lesão

Uma nova reunião com o grupo está marcada para 21 de março.

Em relação às preocupações com grãos para ração animal importados da Ucrânia, ele disse: “Existem outras fontes alternativas para essas matérias-primas (América do Sul e América do Norte), as operadoras já estão em contato”, disse o comunicado.

“Como operações em andamento e contatos com novos fornecedores África do Sul“.

Grãos destinados ao consumo humanoPão tipo trigo, “Importado principalmente da França, e este O circuito é fixo e integrado“.

Quanto às gorduras comestíveis, “o abastecimento é garantido, com destaque para a disponibilidade. O Azeite Nacional registou uma produção recorde na sua época atual.

Quanto aos restantes géneros alimentícios, o Ministério da Agricultura insiste que “não há pressão sobre a sua disponibilidade quer através da produção nacional, quer no quadro do mercado único europeu”.

O ministério diz a nível nacional e europeu “Já existem comitês entre os estados membros e associações que representam manufatura, indústria e marketing para avaliar e resolver quaisquer barreiras na cadeia de suprimentos”.

Ainda hoje, o Comité Permanente das Plantas, Fauna, Alimentos e Forragens (PAFF) convocado para concluir, estando o Conselho de Ministros da Agricultura e Pescas da União Europeia agendado para 21 de março, bem como uma reunião do Perito Grupo. No contexto da prontidão e resposta à crise da Segurança Alimentar Europeia a 23 de março”, explica a Lusa.

No âmbito da Política Agrária Geral (PAC), o Ministério da Agricultura recomenda que sejam tomadas medidas integradas e oportunas para aumentar a produção agrícola europeia e para antecipar e prevenir potenciais escassez de matérias-primas, permitindo que as terras de ‘repouso’ sejam usadas para produção.

A Comissão Europeia também avalia outras medidas excepcionais de estabilização do mercado.Espera-se que sejam dados passos concretos na reunião do Conselho de Ministros da Agricultura e Pescas da UE a 21 de março”, reiterou o ministério.

[email protected] Com ingredientes adicionais da Lusa