novembro 29, 2021

Fofoca

Notícias sobre as manchetes de Portugal no NewsNow: o balcão único para

Ministro da Economia de Portugal afirma investir em tecnologia para acelerar mudanças verdes

Tendo sediado a Cimeira Mundial na Web, um evento global de tecnologia nos últimos cinco anos, parece natural que Portugal também esteja na vanguarda da transformação digital na Europa.

Mas em um momento em que a crise climática é a questão mais importante do dia, abordar as preocupações ambientais é crucial para como o país usa a tecnologia para atender a essas aspirações digitais.

“A forma de acelerar a mudança verde é investir em tecnologias digitais”, disse o Ministro de Estado da Economia e Transformação Digital, Pedro Cisa Vieira, ao Euronews Next numa cimeira da Internet em Lisboa.

“Elas [digital technologies] Ajuda a gerenciar melhor os recursos, usar melhor a água e gerenciar redes de energia complexas ”, disse ele.

“Quanto mais penetração renovável você tem, mais o autoconsumo se espalha em suas casas ou fábricas. Mais você precisa usar as tecnologias digitais.”

Desde 2015, Portugal tem investido fortemente em energias renováveis ​​com novos parques solares e eólicos flutuantes. Atualmente, 65% do total da eletricidade consumida no país vem de fontes renováveis.

“Penso que temos um grande influxo de eletricidade renovável, que não é apenas uma ferramenta para garantir o cumprimento dos nossos objetivos em termos de emissões, mas também para reduzir a flutuação do preço da eletricidade”, disse Sisa Vieira.

O ministro disse que os preços da electricidade em Portugal vão mesmo ser mais baixos no próximo ano porque o país está muito menos dependente dos preços de matérias-primas como o petróleo e o gás.

‘Primeiro país da Europa’

As novas tecnologias não só ajudam no combate às alterações climáticas como também melhoram a mobilidade do governo português.

“Acho que há muitos benefícios para o governo em usar as tecnologias digitais para se tornar mais transparente, eficaz e eficiente”, disse Sisa Vieira, acrescentando que ainda há muito trabalho a ser feito.

READ  Portugal Shelter, impõe requisitos rigorosos para alimentos

“Percebemos que precisamos trabalhar em uma série de tópicos, como infraestrutura e tecnologia 5G, para garantir que tenhamos inteligência artificial, ciência de dados e capacidades de supercomputação desenvolvidas no país, porque isso promoverá mudanças”.

Ele disse que o governo estava introduzindo a tecnologia e que a próxima geração de financiamento da UE aceleraria o progresso do país.

O governo está também a trabalhar para criar um programa denominado “European Start-up National Standard” para o cargo de chefe português do Conselho da Europa.

“Identificamos os países com o cenário de start-up mais vibrante por padrões, infraestrutura, legal, em termos de vistos, de impostos, e definimos o padrão para esta nação start-up europeia, e formamos a Aliança Européia de Start-up com sede em Lisboa. Vamos tentar usá-la para nos tornarmos um continente de start-up em toda a Europa ”, disse Sisa Vieira.

Portugal afirma que teve sucesso na frente digital devido ao seu espírito empreendedor.

“Actualmente temos cinco unicórnios e penso que teremos um grande número nas próximas semanas, o que é mais do que o peso de Portugal na economia europeia em comparação com os cerca de 300 unicórnios da Europa”, acrescentou Sisa Vieira.

Outra razão que afirma ter conseguido atrair investimentos de empresas que querem tirar partido do potencial dos portugueses é que o país tem crescido.

“Os jovens são excepcionalmente bem-educados. São fluentes em vários idiomas e se sentem muito à vontade para trabalhar em um ambiente internacional”, disse ele.

Como Portugal está tentando liderar a mudança digital?

Mas Portugal também está se concentrando nas gerações mais velhas e menos entusiastas da tecnologia.

O governo divulgou seu plano de ação para a transformação digital em abril de 2020, pouco antes de os efeitos da epidemia atingirem totalmente a Europa.

READ  Portugal Cong. Com honras nacionais por David Cecil

O projeto tem como foco o empoderamento digital das pessoas, a transformação digital das empresas e a digitalização do estado.

“Eu diria que o tema mais importante é sobre habilidades e pessoas, porque ainda temos uma carência em termos de treinamento, principalmente para a geração mais velha em comparação com outras partes da Europa”, disse Sisa Vieira.

Uma forma do governo garantir que todos os cidadãos se beneficiem da tecnologia é tentar ensinar habilidades digitais básicas, como pagar contas online, por meio de treinamento.

O governo pretende atingir um milhão de pessoas – cerca de 10 por cento da população de Portugal.

“Se não houver gente suficiente para usar essas tecnologias, não podemos criar uma economia digital, mas precisamos ter certeza de que ninguém ficará para trás nessa transformação”, afirmou.