maio 25, 2022

Fofoca

Notícias sobre as manchetes de Portugal no NewsNow: o balcão único para

EasyJet anunciou 4 novas rotas

A EasyJet anunciou o novo investimento de Portugal na sua base em Lisboa, com o seu hub português a celebrar o seu 10º aniversário.

A EasyJet vai aumentar a sua frota na capital portuguesa com a adição de um novo avião a Lisboa e quatro novas rotas a partir de aeroportos portugueses, incluindo Lisboa – Porto Santo; Porto – Praga; Faro – Birmingham e Faro – Londres SouthEnd.

A EasyJet conta agora com 16 aviões em Portugal (6 em ​​Lisboa, 6 no Porto e 4 em Faro), onde já emprega mais de 550 pessoas no total, das quais 180 em Lisboa.

Novos caminhos

As quatro novas conexões da empresa estarão operacionais durante os meses de verão. A ligação entre Lisboa e Porto Santo estará disponível para viagens em 2 canais semanais de 2 de junho a 25 de setembro. As restantes rotas (Porto-Praga; Faro-Birmingham e Faro-Londres Southend) funcionarão duas vezes por semana, começando em maio e terminando em outubro de 2022.

A EasyJet opera em Lisboa desde 1998 e começou a operar nas rotas domésticas em 2008. Cerca de 4 anos depois, em abril de 2012, a empresa abriu a sua base na capital portuguesa. Até agora, a empresa transportou mais de 27,8 milhões de passageiros com 19 conexões para aeroportos europeus em cerca de 9 países.

JoseJ Lopez, Director Geral da EasyJet Portugal, disse: “Estamos muito entusiasmados por celebrar o 10º aniversário da nossa base e centro em Lisboa em Portugal. Estamos a trabalhar e esta mudança é prova disso.”

“A EasyJet tem investido no processo de desenvolvimento visando oportunidades crescentes nas suas bases portuguesas. Esta aposta traz à empresa benefícios ilimitados com lucro. Além disso, as novas rotas irão reforçar a nossa oferta e proporcionar oportunidades adicionais para os nossos clientes viajarem em trabalho ou lazer.

READ  As 30 Melhores Críticas De aos perdidos com amor Com Comparação Em - 2022

“Estamos envolvidos no esforço de resgate e, para isso, precisamos do apoio dos órgãos decisórios para garantir mais liberdade para as pessoas viajarem”.