setembro 19, 2021

Fofoca

Notícias sobre as manchetes de Portugal no NewsNow: o balcão único para

Descubra as fascinantes cavernas Penang de Portugal de caiaque

As instruções são claras: “Por favor, tente não bater em outros caiaques ou pedras”, diz Fabio Diaz. “Para virar à esquerda, é preciso remar para a direita e vice-versa”, diz o guia turístico.

A beleza de Portugal é conhecida pelas suas falésias escarpadas e pelas formações rochosas coloridas, mas existe uma joia especial entre Alphia e Portimão: as grutas de Penang, que podem ser exploradas de caiaque ou de barco.

Agua cruzou a caverna

A tripulação de Dias não demorou muito a habituar-se à viagem e, com algumas remadas, chegaram à entrada do Algar de Benagil, também conhecido como Sé Catedral. Vistas de fora, as formações rochosas parecem os grandes arcos de uma igreja medieval.

Dentro da caverna, é fresco e surpreendentemente claro. A luz entra não apenas pelo acesso ao mar, mas também por uma grande abertura 20 metros (65,6 pés) acima do chamado “olho”.

“A história da caverna tem cerca de 20 milhões de anos”, explica Dias. Ao longo de milhares de anos, o nível do mar despencou conforme as rochas se movem para cima. Vento, chuva, calor e seca contribuíram para a erosão das camadas de argila e areia calcária dentro da caverna e, em alguns casos, o teto desabou.

Uma vista para cima e para baixo

Alguns no passeio de caiaque dizem que foram capazes de ver por si próprios Caverna Pelo “olho” do dia anterior, não poderia chegar muito perto por questões de segurança.

No entanto, acima da serra, existe um passadiço que conduz à aldeia mais próxima, Carvoiro. “Não consigo nem dizer se o litoral está olhando para cima ou para baixo aqui. Mas é muito bom ter essa mudança de perspectiva”, diz Kayaker Rick.

READ  Covit-19: atualização de Portugal, 16 de agosto

Como a luz e as sombras brincam na caverna, encontra fósseis na rocha e observa pombos, falcões e tigres marinhos. Diz-se que os pássaros vivem, fazem ninhos e procriam Caverna

Problema com barcos a motor

Dias diz que a equipe de caiaque tem sorte. A caverna raramente é encontrada deserta. Na alta temporada, chegam até 300 turistas por dia – muitos deles em barcos a motor – antes da epidemia, diz ele.

Cada barco navega oito vezes por dia durante os meses de julho e agosto. “O ruído comprime os pássaros e, em geral, os barcos a motor são ruins para o meio ambiente”, diz Diaz. Durante o bloqueio, eles desapareceram.

No final do passeio, o grupo segue para Priya da Marinha. O guardião desta praia premiada é um elefante encharcando as torres e seus grandes recifes na parte oeste da baía. Existe uma rocha “King Kong” como um macaco.

Duas horas e meia depois, volta à praia de Penang. A equipe pergunta a Diaz se ele nunca se cansou de fazer o mesmo passeio.

“Não”, diz ele. “Eu costumava trabalhar como desenvolvedor web em um escritório. Era chato. Hoje tenho sorte de ir para o mar duas vezes por dia. Às vezes eu faço um terceiro tour para mim depois do trabalho.”