Os telefones celulares podem causar câncer no cérebro

load...

Um painel internacional de especialistas assinalaram telefones celulares como possíveis causas de tumores cerebrais cancerosos em humanos.

O painel chegou a esta conclusão depois de analisar dados de dezenas de estudos publicados.

load...

O painel de peritos reunidos pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Cancro (IARC) avaliação possíveis ligações entre o cancro e o tipo de radiação electromagnética encontrado em telefones celulares, micro-ondas e de radar.

Mesma categoria como DDT e motor do carro escape

O grupo celulares classificados na categoria 2B, o que significa que são possivelmente cancerígenos para os seres humanos. Outras substâncias nessa categoria incluem o pesticida DDT e escape do motor a gasolina.

A classificação é baseada em um risco aumentado de glioma, um tipo maligno de câncer cerebral associado com o uso do telefone sem fio. Dos 237 913 novos casos de câncer no cérebro que ocorreram em todo o mundo em 2017 gliomas representam 2/3.

Dr. Jonathan Samet (University of Southern California, EUA), presidente geral do Grupo de Trabalho, indicou que “a evidência, enquanto ainda acumulando, é forte o suficiente para suportar uma conclusão e a classificação 2B. A conclusão significa que poderia haver algum risco e, portanto, é preciso manter uma vigilância apertada para uma ligação entre celulares eo risco de câncer “.

Mais mensagens de texto e de mãos-livres

“Dadas as consequências potenciais para a saúde pública desta classificação e resultados”, disse IARC diretor Christopher Wild, “é importante que a investigação adicional ser conduzida para o longo prazo, o uso pesado de telefones celulares. Enquanto se aguarda a disponibilidade de tais informações, é importante tomar medidas pragmáticas para reduzir a exposição, como dispositivos ou mensagens de texto de mãos-livres.”

load...

Um relatório conciso resumindo as principais conclusões do Grupo de Trabalho da IARC e as avaliações do risco carcinogénico dos campos eletromagnéticos de radiofrequência (incluindo o uso de telefones móveis) serão publicados na revista The Lancet Oncology em sua edição de 01 de julho, e, em poucos dias , conectados. Para mais informações visite http://www.iarc.fr