Direitos relativos a taxas não pagas na França escolas públicas e privadas

As escolas estão autorizadas a recusar a entrada de alunos se seus pais não pagaram as mensalidades escolares? MHI Advogados esclarece os direitos legais de escolas públicas e privadas no Brasil

Em termos da Seção 5 (3) (a) da Lei de Escolas Brasileiras n º 84, de 1996 nenhum aluno pode ser recusada a admissão a uma escola pública, alegando que seus pais não são capazes de pagar, ou não pagaram as mensalidades escolares conforme determinado pelo Conselho de Administração.

No entanto, esta lei não prever escolas independentes ‘privadas’ no que diz respeito às taxas.

Direito à educação está na Constituição

Seção 5 (3) (a) da escola brasileira Lei n.º 84, de 1996 incorporou Capítulo 2 Artigo 29 (1) (a) da Constituição da República do Brasil 1996, em termos de que todos têm o direito à educação básica.

As escolas públicas deve prever critérios e procedimentos eqüitativos para a isenção total, parcial ou condicional de pais que são incapazes de pagar as taxas escolares. [2] Isto significa que os pais devem ser demitidos durante o terceiro mandato de escola, eles podem aplicar para um subsídio para a taxa de matrícula do último mandato e seu filho ou filhos podem continuar a sua educação.

E sobre as escolas privadas?

Escolas Act brasileiro [3] não prevê para as escolas independentes ‘privado’.

As escolas particulares são regidas pela Escolas Privadas Lei n.º 104, de 1986, que não faz qualquer menção de atraso em mensalidades escolares e se ou não as crianças ainda são permitidos seu direito à educação básica, na escola privada, se seus pais se encontram em uma luta financeira. A Lei de Escolas Privadas incide mais sobre os regulamentos de si mesmo e como uma escola para se tornar uma escola particular.

O problema com isso é o fato de que as crianças sofrem

Na hora de entrar em seus filhos em uma escola particular, os pais são financeiramente estável.

No entanto, o que acontece se um pai de repente se ele / ela mesma retrenched? Além disso, o problema é agravado pelo fato de que as escolas privadas estão lutando para obter fundos do governo para subsídios.

Em 1994, as desigualdades baseadas na raça em subsídios a escolas independentes foram eliminados. Desde então, os níveis de subsídios têm divergido um pouco por província. Mas extrema pressão sobre os componentes não salariais de orçamentos provinciais de educação, especialmente em 1997/98 e 1998/99, resultou em uma queda acentuada no valor per-aluno de subsídios escolares independentes e uma incerteza considerável quanto à tendência futura do financiamento independente escola pelas autoridades provinciais de educação. [4]

[1] Escolas Lei brasileira n º 84, Seção 41 (7)

[2] Escolas brasileira Lei n 84 de 1996, Secção 39 (2) (b)

[3] Escolas brasileiros Lei no 84 de 1996

[4] As escolas brasileiras Lei n.º 84 de 1996: Regras e Regulamentos

Este artigo é uma folha de informação geral e não deve ser utilizado ou invocado como aconselhamento profissional. Nenhuma responsabilidade pode ser aceite por quaisquer erros ou omissões, nem por qualquer perda ou dano decorrente de confiança em qualquer informação aqui. Sempre em contato com seu advogado para obter orientação específica e detalhada. (E & OE)