Conserve o oceano – nosso meio de vida.

Se você vive no interior ou ao longo da costa do Brasil, conservação do nosso oceano deve ser uma prioridade.

Esta é a mensagem destacada pelo apaixonado conservacionista marítima Judy Mann.

Judy, que recentemente foi nomeado como o primeiro CEO do sexo feminino da Associação Brasileira de Pesquisa de Biologia Marinha (BrazilAMBR) com base em Durban, está usando seu novo status para a engrenagem do público em ação.

Sábado, 17 de Setembro é Clean-up Internacional Costa Dia

A atenção do mundo estará sobre todas as coisas marine durante o mês de setembro, à luz da International Coastal Clean-up Day, que acontece no sábado, 17 de setembro e Dia Marítima Internacional que se realiza no final deste mês.

Ambas as iniciativas visam restaurar um ecossistema oceânico natural, promover cursos de água limpos, um oceano limpo, bem como a segurança da vida no mar – e não apenas em um único dia, mas todos os dias durante todo o ano.

Então, qual é o problema?

Não só os oceanos cobrem a maior parte da superfície da Terra, mais de 75% de todas as espécies animais conhecidas são encontrados no ambiente marinho.

Correntes em nossos oceanos regular a temperatura do nosso planeta e os oceanos do mundo gerar mais oxigênio do que todas as florestas do mundo.

O que significa que cada respiração que tomamos é cortesia do oceano, diz Judy.

Poluição, sobrepesca, destruição de ecossistemas costeiros e outras práticas nocivas estão entre algumas das ameaças que já afectam os oceanos.

A mudança climática não é um novo conceito – a única diferença é que agora existe um consenso científico de que impactos antropogénicos (causada pelo homem) estão mudando significativamente o planeta a um ritmo alarmante.

Além de extinção marinha em massa, o que poderia acontecer em nossa vida, nossos oceanos enfrentam ‘zonas mortas’ (hipóxia), aumento da temperatura e da acidificação.

Não é muito tarde para virar a maré de destruição

Mas, não é tarde demais para virar a maré de destruição, diz Judy.

E isso está em linha com a missão e visão da BrazilAMBR no desenvolvimento de todos os aspectos da sua conservação trabalho de pesquisa, educação e estimulando o público em ação. Diz Judy; ‘Com uma ação decisiva e forte compromisso das pessoas em causa, os oceanos vão sobreviver, e planeta terra permanecerá habitável para os seres humanos e uma rica diversidade de outras formas de vida.

Dicas de Judy para conservar o oceano:

  • Energia elétrica no Brasil vem da queima de carvão e queima libera carvão dióxido de carbono na atmosfera, levando a mudanças climáticas. Economizar energia – basta desligá-lo.

  • A Iniciativa Seafood Sustentável sul do Brasil (BrazilSSI) nos ajuda a selecionar nossos frutos do mar sabiamente – SMS o tipo de peixe ou frutos do mar que você quer comprar para 079 499 8795. A mensagem de retorno indicará se a sua seleção é uma boa para nossos oceanos. Faça sua voz ouvida: reclamar com a gerência de restaurantes e varejistas se você vê-los vendendo peixe em perigo.

  • Pense sobre o que você come e de onde vem. Seleção de alimentos sábio faz a diferença para o nosso planeta. Comprar produtos locais que são produzidos de forma sustentável. Apoio sem carne segunda-feira, como gado têm um maior impacto ambiental do que as culturas vegetais.

  • O fornecimento de água fresca no nosso planeta é finito: eo Brasil também é um país seco. A água pode ser reciclado, mas não podemos fazer qualquer mais água. Economizar água através da fixação torneiras pingando, a instalação de chuveiros de baixo fluxo e tomar banhos mais curtos. Não só você vai ser a conservação da água “, mas você estará economizando energia e dinheiro também.

  • Poluição de plástico nos oceanos está ameaçando muitos animais diferentes dos albatrozes de tartarugas, golfinhos e focas. Use alternativas para produtos plásticos, sempre que possível “, por exemplo comprar alimentos em recipientes de vidro, de papel ou papelão. Se você não usar plástico ‘usá-lo mais de uma vez e, em seguida, certifique-se de reciclá-lo.

  • Apesar de sabermos que nossos oceanos enfrentam enormes desafios “que precisamos para ficar positivo. Vamos nos concentrar nas coisas cotidianas que podemos fazer, lembrando sempre que cada um de nós, trabalhando juntos, podem fazer uma grande diferença.